Falsas memórias na perspectiva da Análise do Comportamento: Uma análise da literatura

Natalia Maria Aggio, Sabrina Campos Dias Pedrosa, Julio César de Rose

Resumen


A Análise do Comportamento propõe uma perspectiva operante dos fenômenos mnemônicos. Segundo esta visão, o lembrar é um comportamento que ocorre na interação do homem com o seu ambiente e, portanto, pode ser descrito e estudado em termos de relações de controle de estímulos. É observado, porém, que pessoas podem ter lembranças discrepantes da experiência vivida. Tal fenômeno foi denominado como falsas memórias. Por meio de diferentes modelos de pesquisas, psicólogos cognitivistas produziram um corpo de dados robusto que permite afirmar que o referido fenômeno é determinado, pelo menos em parte, por relações semânticas entre estímulos. Considerando estes achados, analistas do comportamento, recentemente, têm começado a produzir os primeiros análogos comportamentais de falsas memórias. A principal diferença da proposta de pesquisa comportamental é o emprego do paradigma da equivalência de estímulos como recurso para o estabelecimento e manipulação de relações semânticas. Os resultados das primeiras pesquisas comportamentais apontam para a viabilidade e adequação do uso do paradigma de equivalência de estímulos como um recurso teórico e metodológico para os estudo de falsas memórias. Disto decorrem novas possibilidades de manipulações experimentais que podem originar uma promissora linha de pesquisa.

Palabras clave


falsas memórias, equivalência de estímulos, lembrar, análise do comportamento

Texto completo:

PDF