ANÁLISE DE DESEMPENHO DO CARVÃO ATIVADO E ANÉIS DE POLIETILENO EM BIOFILTRO AERADO PARA O PÓSTRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO

Patrícia Bilotta, Ana Beatriz Barbosa Vinci Lima, Luiz Antonio Daniel

Resumen


Este estudo pretende comparar o desempenho do carvão ativado granular e anéis de polietileno como meio suporte para a fixação de biomassa em um biofiltro aerado para remover sólidos suspensos e dissolvidos em esgoto doméstico e para promover reações de nitrificação. Nos ensaios foi utilizado efluente de reator UASB instalado em uma ETE. Anéis de polietileno foram obtidos no corte de eletrodutos corrugados (diâmetro 2,0 cm, comprimento 2,5 cm). Os parâmetros monitorados foram: DQO, nitrogênio total, nitrato, pH e alcalinidade. Os resultados revelaram um incremento médio de 27,6% na eficiência de redução da DQO no filtro biológico contendo anéis de polietileno em relação ao carvão ativado granular. Esse comportamento pode estar associado à distribuição mais eficiente da biomassa sobre os anéis de polietileno, devido à maior área superficial disponível resultante de sua conformação espacial. Os resultados mostraram ainda que o tratamento biológico promovido na superfície dos anéis de polietileno possibilitou a minimização dos picos de variação da DQO no período de monitoramento do sistema e promoveu aumento superior a 100% na eficiência da nitrificação do efluente final. Como pós-tratamento, os resultados demonstraram a potencialidade efetiva dos anéis de polietileno como material suporte alternativo no tratamento secundário do esgoto para atingir o limite de concentração da matéria orgânica biodegradável previamente ao seu lançamento nos corpos d'água, conforme diretrizes da legislação brasileira. Além disso, os anéis de polietileno possibilitam a redução de custos, em relação ao carvão ativado, e redução substancial da massa por área ocupada no interior do biofiltro.


Palavras chave: DQO, nitrificação, filtro biológico, tratamento biológico.


Palabras clave


DQO, nitrificação, filtro biológico, tratamento biológico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2012.5.2.32645