IMUNIZAÇÃO CONTRA O VÍRUS DA HEPATITE B EM TRABALHADORES DA COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM BELO HORIZONTE, BRASIL

Marcos Paulo Gomes Mol, Jéssica Pereira Gonçalves, Sandy Cairncross, Dirceu Bartolomeu Greco, Léo Heller

Resumen


O vírus da hepatite B (HBV) é uma inflamação no fígado decorrente de uma infecção viral com distribuição em praticamente todos os países do mundo. Trabalhadores da coleta de resíduos sólidos representam um grupo de profissionais considerado sob risco de acidentes perfurocortantes, e por isso, sob risco de infecção pelo HBV. O objetivo deste artigo foi verificar o status de imunização contra o vírus da hepatite B em trabalhadores da coleta de resíduos sólidos em Belo Horizonte (Brasil), abrangendo expostos aos resíduos de serviços de saúde (RSS) e aos domiciliares. Foram coletadas amostras de sangue em 522 trabalhadores (461 expostos a resíduos domiciliares e 61 a RSS), entre novembro de 2014 a janeiro de 2015. As amostras foram testadas para o marcador Anti-HBs sendo este o anticorpo marcador da imunidade ao HBV por vacinação. Foi adotada a técnica de imunoenzimático (ELISA). Os trabalhadores que afirmaram estar vacinados contra hepatite B durante entrevista totalizaram 400 (86.8%), sendo 340 expostos a resíduos domiciliares e 60 expostos a RSS. Contudo, apenas 252 (54.7%) (207 expostos a resíduos domiciliares e 45 expostos a RSS) estavam efetivamente imunizados. Destaca-se que 153 (33.2%) participantes expostos a resíduos domiciliares relataram ter sofrido algum tipo de acidente com materiais perfucortantes, contra 16 (26.2%) relatos dos que manejavam RSS. A vacinação é fundamental para a prevenção da infecção pelo HBV, em especial, aos sujeitos mais expostos aos resíduos. O acesso à vacinação completa e à sorologia de confirmação de imunização é um direito dos trabalhadores e devem ser implementados.


Palabras clave


hepatite B, imunização, resíduos sólidos, risco ocupacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2018.11.1.57593