POTENCIALIDADE ENERGÉTICA E QUALIDADE DO BIOFERTILIZANTE PRODUZIDO EM BIODIGESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PUTRESCÍVEIS DE RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO

Luciana Paulo Gomes, Douglas Velho, Roger Pieri, Marcelo Oliveira Caetano, Luis Alcides Schiavo Miranda

Resumen


O acúmulo de resíduos sólidos urbanos produzidos pela sociedade representa hoje um dos principais impactos ambientais enfrentados. Geralmente são dispostos em aterros que, se não são operados quase como lixões, são sistemas que não aproveitam o biogás gerado. O presente trabalho realizou a avaliação do biogás e do biofertilizante produzidos a partir de um biodigestor anaeróbio, operado em batelada. Foram realizados cinco ensaios, em condições mesofílicas, quando o biodigestor foi alimentado com a fração orgânica facilmente biodegradável dos resíduos sólidos produzidos em um restaurante universitário. Durante os ensaios a taxa de carregamento orgânico média foi de 30.4 ± 15.1 g STV/dia.m³. O biofertilizante produzido apresentou pH entre 7.9 e 8.6. O carbono orgânico total resultou em 13.4% e nitrogênio total médio em 0.24 %, ou seja, relação média de 58:1. A proporção que apresentou melhores resultados foi a 2:1 (batelada 5), com produção de 2416.12 NL de biogás. O biogás gerado apresentou teor médio de metano igual a 77.8%, sendo que se estimou, para o caso de uso deste biogás na operação do próprio biodigestor anaeróbio, um balanço energético positivo igual a 1.21 kWh.


Palabras clave


biofertilizantes, biogás, resíduos sólidos, digestão anaeróbia, biodigestor anaeróbio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2018.11.3.58109