VALORIZAÇÃO DE LODO DE ESGOTO ANAERÓBIO DIGERIDO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DESCENTRALIZADA POR MEIO DA COMPOSTAGEM.

Barbara Costa Lima, Daniele Vital Vich, Viviana Maria Zanta, Luciano Matos Queiroz

Resumen


Este trabalho avaliou o processo de compostagem como alternativa para valorização de lodo de esgoto oriundo de reator UASB implantado em uma estação de tratamento de esgotos (ETE) descentralizada.  A estabilidade e desempenho do processo foram investigados por meio do monitoramento de parâmetros físico-químicos e microbiológicos em duas fases distintas e sequenciais. Na primeira fase, avaliou-se a compostagem por meio da montagem de pilhas compostas apenas pelo lodo anaeróbio e a serragem como material estruturante. Na segunda fase, adicionaram-se resíduos de alimentos às pilhas de compostagem. Além disso, realizou-se uma análise de viabilidade econômica e financeira da alternativa por meio da técnica de Valor Presente Líquido (VPL). Os resultados da primeira fase mostraram que as pilhas não alcançaram temperaturas na faixa termofílica e que a atividade microbiológica não se desenvolveu de maneira satisfatória. Já na segunda fase, após a adição dos resíduos de alimentos como aditivo do processo, alcançaram-se temperaturas superiores a 55°C mantidas por cinco dias consecutivos no topo das pilhas. O resultado do VPL mostrou que se faz necessário buscar uma flexibilização das exigências de monitoramento, sobretudo dos critérios de frequência de amostragem e número de parâmetros analisados, de modo a tornar esse processo viável para valorização do lodo de ETE de pequeno porte.


Palabras clave


compostagem, lodo anaeróbio, residuo de alimentos, valorização.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2019.12.1.61489